Palavras de Um Amigo

Palavras de Um Amigo

Chamo-me Graça Bessa,  tenho 68 anos e sou voluntária na Ajuda de Berço  há 6 anos.
O meu “trabalho” não é junto das crianças mas é para as crianças.
Depois de outros trabalhos de secretaria,  desde há cerca de um ano telefono para os queridos sócios da Ajuda de Berço  lembrando-os da importância/necessidade de manterem as quotas em dia contribuindo, assim, para o bom funcionamento desta “Casa”.
E como escrevi “Casa” e não instituição,  vou contar uma pequena história que se passou mal cheguei aqui como voluntária. Fui ao balcão da cozinha servir-me de um café  (levamos as nossas cápsulas) e vejo em cima do grande balcão quatro bolos de anos muito bem decorados e com as respectivas velas.
Disse à cozinheira: “não me diga que hoje temos quatro crianças a fazer anos”.
Respondeu-me: “não,  são duas a fazer anos mas são dois bolos para levarem para o infantário e dois para o lanche cá na Ajuda de Berço .”
Como sou chorona, os meus olhos encheram-se de lágrimas. Pensei – tal como em nossas casas os nossos filhos/netos levam um bolo para a escola para festejarem com os amigos e têm um bolo para festejarem em família, assim se faz  com as crianças que temos na Ajuda de Berço.
Esta é uma história simples mas que me diz duas coisas que considero importantes:
1) a Ajuda de Berço  é uma “Casa” para as crianças que aqui são acolhidas e não uma “instituição” com a carga negativa que algumas vezes encerra;
2) aqui, as crianças encontram a “família” que tenta dar-lhes, além do que é mesmo preciso para o seu desenvolvimento,  também os mesmos mimos que nós damos aos nossos filhos/netos.

A Ajuda de Berço é, assim, uma “família” temporária cujo objectivo número um é ajudar a criar condições para que as crianças voltem às suas Famílias de verdade.  Mas enquanto aqui estão,  esta é uma “família” que, de facto, funciona e promove o bem estar destas crianças.
Um obrigada enorme a todos que se interessam pela Ajuda de Berço.