Editorial

Editorial

Em tempos difíceis, as boas notícias fazem-nos bem. Nesta edição da nossa newsletter há que falar das boas notícias vão acontecendo pela Ajuda de Berço.

Crianças que vêm cumprindo a concretização do seu projecto de vida, pais que aos poucos retomam a sua vida normal.

A alegria de conseguir trabalhar em equipa, de forma a conseguir concretizar projectos de vida que se pretendem seguros e definitivos.

Campanhas de angariação de fundos que permitem garantir a sustentabilidade da Ajuda de Berço.

Testemunhos maravilhosos de pessoas amigas que ao celebrarem momentos importantes das suas vidas, como por exemplo casamentos, baptizados, aniversários, convertem os seus presentes em ajudas para as crianças acolhidas na Ajuda de Berço.

Nesta casa onde tudo começa por uma má notícia, “ uma criança que precisa de ser acolhida e se vê privada de viver com a sua família”, pode ser a oportunidade de, a curto médio prazo, ser este acontecimento transformado numa boa notícia.

Creio mesmo que o bem necessita do mal para se tornar visível e a Ajuda de Berço é a oportunidade que a maioria das suas protagonistas tem de transformar o mal em bem. E muitas vezes na azáfama das nossas preocupações e afazeres, esquecemo-nos da oportunidade que temos de, com gestos simples mas encadeados noutros gestos simples, fazer acontecer o bem.

Faz-nos bem fazer o bem e deste bem fazer boas notícias.

Constantemente ficamos petrificados com as más notícias de que a violência doméstica aumenta todos os dias, com histórias de abandono e negligências mas, quando tudo isto se ultrapassa e são encontradas soluções, é impressionante a nossa indiferença e a frieza como reagimos às boas notícias.

No caso da Ajuda de Berço, todos os dias também acontecem boas notícias: os meninos que não sabiam sorrir e agora já sabem; os pais que não apareciam e pareciam não se importar que descobrem a importância de ter um filho, os meninos abandonados que encontram as famílias do coração através da adopção.

Todos os dias aqui são uma oportunidade de fazer o Bem e de ser promotor de boas notícias. E isso faz-nos muito bem.

Sandra Anastácio